Arquivo da categoria: Something to Remember

A Vida da Gente

Não foi preciso muito mais que cinco minutos para que eu me desse conta de que esta seria uma grande novela. Na verdade não foi preciso muito mais que algumas propagandas, que algumas imagens. Em uma época em que quase todas as emissoras apelam para vulgares reality shows, por que razão iria eu imaginar uma história como a de “A Vida da Gente” sendo produzida e transmitida pela Rede Globo?

Desde o primeiro instante a proposta cativou-me. Uma história sobre mães, sobre irmãs, sobre filhas, sobre famílias. Uma história na qual o amor era a palavra subentendida em cada frase, em cada olhar, em cada sutil gesto. A jovem tenista de promissora carreira que se descobre apaixonado pelo filho do padrasto justo no momento em que seus pais se divorciam e convertem-se em inimigos praticamente mortais e o posterior e aparentemente irreversível estado de coma da protagonista. Um melodrama simples e clássico, porém original e extremamente bem elaborado. O tipo de enredo que me encanta, mas, em geral, encontro apenas nas produções hispânicas, muito mais comprometidas com discutir as questões da família e dos valores que as brasileiras.

A possessividade de Eva (Ana Beatriz Nogueira); as obsessões de Vitória (Gisele Fróes); o núcleo dos idosos e seus animadíssimos bailes; o desapego de Jonas (Paulo Betti) em relação aos filhos; o encontro de Alice (Sthefany Britto) com seu pai biológico; a imaturidade de Nanda (Maria Eduarda); as inseguranças de Lourenço (Leonardo Medeiros); os conselhos maternais de Iná (Nicette Bruno); o amor de Ana (Fernanda Vasconcelos) e Rodrigo (Rafael Cardoso), o amor de Manuela (Marjorie Estiano) e Rodrigo; o amor de Ana e Lúcio (Thiago Lacerda *-*); o amor de todos pela pequena Júlia, em torno de quem se desenrolava a trama. Entre tantos conflitos, é até difícil destacar melhores momentos, cenas inesquecíveis.

"How can I do to make it right?"

Decerto o instante em que Rodrigo declara-se a Manuela é uma cena que jamais esquecerei (inclusive associei-o à música “How Did I Fall in Love with You”, dos Backstreet Boys), tal como a sucessão de cenas que narrou-nos a progressiva recuperação de Ana até o instante em que ela começou a falar bem e a locomover-se com muletas ou como o momento final, no qual Ana e Rodrigo trocaram cartas reconhecendo que a paixão adolescente não era o que realmente os completava (Assistir a cena aqui!) . Isso para não citar a cena de amor no rio, ainda no primeiro capítulo da trama. Todas cenas que me tocaram profundamente e nitidamente comoveram-me, levando-me às lágrimas.

Obviamente, não gostei de tudo. O fim do casamento de Manu e Rodrigo deixou-me arrasada; ficava mal quando Iná e Laudelino (Stenio Garcia) brigavam, odiei cada uma das vezes em que Ana terminou com Lúcio pela paixão que eu considerava um mero capricho, uma simples inconsequência de quem parou no tempo e não percebeu que a adolescência já havia terminado. Aliás, no último mês e meio da novela, Ana parecia-me quase tão intragável quanto a insuportabilíssima Eva (que também me fez rir muito com suas psicoses e histerias). Aliás para quem acha que a novela foi perda de tempo “porque Ana não ficou com seu amor verdadeiro que era o Rodrigo”, talvez seja hora de analisar mais racionalmente os fatos… A maior lição dessa novela é que o amor construído vale muito mais que a paixão fulminante, que é passageira e dilacera os espíritos, pois é o amor construído que dá segurança. E Ana construiu amor com Lúcio, tal como Rodrigo realmente amava Manuela. E para os que pensam que Manuela foi uma “traíra”, independentemente do coma de Ana, as vidas ao redor tinham de seguir… Inclusive para o bem de Ana, sobretudo pelo bem de Júlia, que aliás, sempre foi instruída por Rodrigo e Manuela a também ver Ana como mãe. Além disso, as pessoas não mudam do dia para noite, mas sim conforme sucedem-se situações adversas ou positivas na vida, as pessoas indecisas, as pessoas temem, têm defeitos e cometem erros.

Enfim, que belíssima história! Os méritos de “A Vida da Gente” foram muitos. Uma direção impecável de Jayme Monjardim, na qual a sensibilidade dos personagens e expectadores era levada ao máximo. O texto emocional, cuidadoso e apaixonante da autora estreante em novela Lícia Manzo. A importância atribuída aos valores, à família, ao amor verdadeiros, às amizades sinceras, às emoções. Não apelou ao grotesco, à fútil exibição de corpos, à linguagem vulgar , à banalização do sexo, à violência. Apresentou-nos (e presenteou-nos) com lindas imagens do Sul do Brasil, em vez de ceder ao habitual eixo Rio-São Paulo. Foi sutil ao abordar temas delicados. Tratou a vida simplesmente como ela é: com indas, vindas, amores, desentendimentos, reconciliações, reflexões, impulsos. Emocionou-me e tocou-me como não acontecia desde que assisti a mexicana “La Madrastra” (o drama maternal mais intenso e apaixonante de todos os tempos).

“A Vida da Gente” sim foi uma boa novela, um exemplo a ser seguido pelos demais autores. A melhor novela brasileira que já vi, uma novela quase tão especial para mim como a insuperável LM (citada acima). Vai deixar saudades… Muitíssimas saudades… (sobretudo do Thiago Lacerda, pelo menos enquanto ele não integrar o elenco de outra novela *-*). Texto impecável, direção divina e elenco fantástico.

E que venham outras histórias como essa, que valorizou o que há de mais importante: a FAMÍLIA.

Anúncios

Air Supply Rio 2011

Todo mundo já ouviu Air Supply um dia. Pode não saber, mas já ouviu. Quem não conhece versos como “I never dream there’d  be someone to hold me/until you told me/and now that I found you/Even the nights are better/Now that we ‘re here together…” ou “But I don’t know how to live you, I will never let you fall/ and I never gonna make it like you do/making love out of nothing at all”? Difícil não conhecer! Eu mesma fui apresentada beeem cedo às canções românticas, bem escritas e de belas melodias. (Se não conhecem ainda, procurem um pouquinho no youtube, é óootimo!!)

 Eis que esse ano surgiu uma imperdível oportunidade (OK, confesso que quase desisti por causa da semana de provas que se aproximava – #nerdfeelings): Air Supply, no Vivo Rio, 02 de abril de 2011, platéia VIP por R$ 90.00 (meia-entrada). Momento OMG total…  Contei para minha amiga Vanessa, Pipoca e Brigadeiro, também fã da banda (ela que suuper insistiu para que eu fosse, e não me arrependo!) e lá fomos nós duas ouvir o que a maioria das pessoas classificaria como música de velho…

A noite começou com uma apresentação daquele que Cid Moreira chamava de “O Paladino Mascarado”, Mister M, agora sem máscara. Confesso-lhes que foi bastante sacal ter de vê-lo quando o que eu queria mesmo era ver os fofos do Air Supply. Essa introdução levou cerca de 10 minutos, as luzes apagaram e ainda nos escuro total, surge a inconfundível voz de Russell Hitchcock em um dos maiores e mais contagiantes sucessos da banda: “Even the Nights Are Better”.  Oooooh!

O show no Rio foi a última apresentação da turnê brasileira da banda e incluía velhos sucessos e músicas igualmente incríveis do álbum “Mumbo Jumbo”, lançado em 2010, e comemorava os 35 anos de banda e 30 milhões de álbuns vendidos. A maior parte do público era composta por casais de meia-idade, mas havia alguns mais jovens como eu e Vanessa e também uma colega nossa de Ensino Médio, que encontramos lá. Todos muito fãs, todos muuito empolgados. Apesar dos cabelos brancos e da considerável idade, Graham e Russell mostraram enorme competência e disposição durante todo o show, cantando realmente ao vivo e interagindo com o público, destacando-se nesse sentido a performance de “The One that You Love” quando os vocalistas desceram para a platéia e cumprimentaram o público.

No fim do show, aquela que acho a melhor canção gravada por eles: “Making Love out of Nothing at All”. Para o bis, foi uma felicíssima surpresa terem cantado “Goodbye”, que também está entre minhas favoritas. Em suma, foi um show lindo, de muuita emoção e para de fato ficar na memória. Seguem imagens do dia (clicar para ampliar – eu de batom vermelho e saia, é claaro!) e links para vídeos do show!

 “Even the Nights Are Better”

“Making Love out of Nothing at All”.

Ah, como não podia não comentar, aí vai a setlist (*=favoritas).

Even the Nights Are Better* / Just as I Am / Here I Am (Just When I Thought I Was Over You) / Chances / Faith in Love* / Power of Love* (conhecem a versão da Celine Dion?) / A Little Bit More / The One That You Love / Lost in Love* / Sanctuary / Dance with Me* / Every Woman / Making Love Out Of Nothing At All* Bis: Me Like You / Goodbye* / All Out of Love*

Como em todo show, faltaram músicas que eu amo, como “Sweet Dreams”, “Unchained Melody” , “Someone Who Believes in You” e “Lonely is the Night”. Muuitos pediram “I Can Wait Forever”, ´também óotima, mas foi inútil. Ainda assim, foi maravilhooso o momento e terei sempre boas recordações.

Fontes:

F(r)ases da Vida (vídeos do show)

Almanaque Virtual

E vocês, já conheciam a banda? Gostam? Conheceram agora? O que acharam? Comentem!

Ah, em breve haverá novidades no blog!

XOXO

Nineteen

24 de fevereiro é o dia da bandeira do México, país que eu amo. 24 de fevereiro é a data da promulgação da Constituição brasileira de 1891. 24 de fevereiro pode ser para muitos só mais um dia no ano, mas não para mim…

Às 21h35min de 24 de fevereiro de 1992, eu nasci… 24 de fevereiro é meu dia! My b’day!

Gostaria de presenteá-las com algum sorteio como muitas fazem em seus aniversários, mas infelizmente sou uma pobre estudante universitária que pouco tem para as próprias futilidades, então fica para uma próxima…

Registro aqui meus parabéns para mim, pessoa que mais admiro no mundo [rs]. Parabéns a meu amigo, Felipe, que também faz aniversário hoje e nasceu no mesmo ano que eu. Parabéns a meus primos que também comemoram neste dia 24.02, um mais velho que eu e outro mais novo. Parabéns atrasado a Mariana Mansur, minha amiga blogueira também economista e pisciana que soprou velinhas dia 22.02. Parabéns a todos que comemoram um ano mais nesse dia tão ilustre, nessa data tão lindinha!!!

“happy birthday to me…” [rs]

Ah… Antes que me esqueça… Enfim, hoje chego ao meu último ano “teen”…

Deixo vocês com “So young”, do grupo irlandês The Corrs…

 

XOXO.

Talento revelado

Domingo passado, enquanto escrevia para o blog, fui chamada por minha mãe para assitir o que passava no “Domingão do Faustão”, Rede Globo. Não costumo assisti-lo, mas minha mãe foi sábia ao me chamar.

Junto a Alexandre Borges, quem interpreta o estilista Jacques Leclair na novela Ti-Ti-Ti, Faustão apresentou a história de Adilson dos Santos. Pedreiro, casado e pai de quatro filhos, Adilson aprendeu a costurar com a mãe ainda na infância e provou-se capaz de copiar e criar  vestido e quaisquer outras peças com enorme habilidade e perfeição. Um talento natural, ofuscado pelas poucas oportunidades que teve na vida, foi revelado no Brasil quando desfilaram os modelos do pedreiro, que diz ter ensinado a esposa e os filhos a costurar e bordar.

E quando vi, pensei: Moda é talento, moda é dom! Quem é bom, não precisa estudar para ser estilista! Na verdade, parece-me não fazer sentido em estudar moda que não aperfeiçoar habilidades já existentes… Mais ainda, tem de haver nesse país alguém que patrocine talentos como esses! Não é justo que alguém tão competente como costureiro quanto o Sr. Adilson permaneçam no ostracismo e sustentando a família como pedreiro enquanto pessoas ricas, muitas vezes sem vocação, inserem-se no mercado da moda pelo simples fato de terem podido estudar em Paris etc e terem oportunidade de bancar, digamos, um sonho vazio…

Sabe, isso me revolta…

MODA É PARA QUEM TEM TALENTO, NÃO PARA QUEM SIMPLESMENTE PODE BANCAR…

Não sou contra estudar moda, apenas acho que se não há talento, vocação, o estudo, como em outras carreiras, não ajudará.

Gostaria de ter postado o vídeo, mas não o encontrei, infelizmente. Espero que esse senhor tenha sucesso daqui para a frente!

XOXO

Thaís

Um dia importante…

22 de dezembro de 2005. 15:28. Eu tinha 13 anos, 11 meses e 28 dias. 

Eu tinha tido algumas ideias, porém nada além de rascunhos feitos à mão e uma lista de personagens na qual descrevia-os física e psicologicamente, criava laços de sangue e amizade (ou ódio).

Naquela tarde, entretanto, ao me sentar diante o computador, não continuei trabalhando a lista. Criei um novo documento do Word e comecei meu texto. Escrevi apenas uma página, mas era um começo. Depois daquela muitas viriam, depois daquela, muitas eu apagaria.

Posso já não lembrar que palavras iniciavam o volume I da série que planejo, pois reescrevi váaaarias vezes os três primeiros capítulos, contudo foi um importantíssimo começo. Foi a partir dali que as personagens começaram a ganhar vida; trilhas sonoras surgiram para cada situação, para cada personagem. Comecei então a transmitir meus valores, minha visão do mundo; criei um alter-ego (ou seriam vários?), ganhei uma diva (diva da ficção criada por mim mesma, como gosto de dizer…), tomei contato com outras culturas (viva a diversidade cultural).

Terminei o primeiro volume no dia 28.10.2007, iniciando o segundo exatamente uma semana depois. A essa altura já devem perguntar-se porque não publiquei ainda ou se pretendo publicar e a resposta é: quero muito publicar, mas antes estou relendo o volume I, pois era muuito nova quando comecei e mudei de ideia quanto a algumas coisas.

Ainda assim, posso dizer que há 5 anos (e um dia) eu descobria um novo mundo, um novo prazer. Espero jamais abandoná-los…

Quando o projeto evoluir e tornar-se mais real que para a minha pessoa, compartilharei aqui no blog!

Um Natal de muitas alegrias e união para todos que leem o blog!

Beijos e abraços,

Thaís

 

Tempo de Formaturas!

Oi! Como vão??

Novembro está aí e junto com ele vem o calor e também começa a onda de formaturas, uma das festas mais importantes na vida de um estudante.

Nós, mulheres super vaidosas, começamos a nos preocupar com a festa muuuito antes de ela acontecer, obviamente e, desde o princípio temos a noção do quão difícil é escolher vestido, penteado, sapato e maquiagem perfeitos.

Mesmo já estando um pouco em cima da hora para posts desse tipo, deixo aqui minha contribuição (e devaneio) acerca de vestidos em diferentes estilos para formaturas!

 

Moderna

Moderna

Sexy (mas não vulgar)

Sexy (mas não vulgar)

Elegante

Elegante

Românticas

Românticas

 

Particularmente, prefiro os curtos aos longos. Em minha formatura de Ensino Médio, que foi ano passado, optei por um vestido rosa intenso em cetim de seda. O modelo com drapeado na parte superior e com alças cruzadas foi desenhado por mim e encomendado a uma costureira. Ele tem uma faixa em torno da cintura com um laço na lateral esquerda, mas acho que este não está aparecendo bem nessa foto… 😦

 

Eu e meu vestido

Eu

Na minha formatura, predominaram os tomara-que-caias em tons arroxeados, verdes e pratas. Como exemplo do feitio, deixo o de minha amiga Vanessa, que usou um vestido super lindo no estilo Cinderalla Inspired. 

 

Vanessa e eu - Modelo Cinderella Inspired.

Vanessa e eu - Modelo Cinderella Inspired.

Estilos à parte, vale lembrar que o vestido escolhido não só deve ser bonito por si só, como deve ficar bem em seu corpo e ter a ver om a sua personalidade. Eu mostraria alguns vestidos mais, mas não sei se outras de minhas coleguinhas autorizariam (vestidos de um ombro só, curtos, transpassados etc)…

Sobre as fotos extraídas do site da Revista Manequin, o “moderno” é o que mais me encanta… ^^

Beijinhos, abraços e até a próxima!

Thaís

PS: E garotos, por favor, não se desmontem antes do fim! Nós os adoramos de terno e gravata!

Créditos:

As quatro primeiras fotos são do site da Revista Manequim, da Editora Abril [http://manequim.abril.com.br/moda/reportagem/reportagens_397876.shtml] Lá você encontra além desses, vestidos que contemplam a outros estilos e também outras sugestões e descrições para/de cada estilo, além de um teste para que descubra com qual deles se identifica. Também na página, os créditos das fotos e dos vestidos e acessórios.

Dia Nacional do Livro!

Esta sexta-feira, 29 de outubro foi o Dia Nacional do Livro, pois nessa data, em 1810, foi fundada a Biblioteca Nacional.

Eu, como assídua leitora de romances, obviamente não poderia deixar de comemorar a data. Para isso, trago-lhes 5 indicações de livros que li e simplesmente amei, 4 dos quais inclusive inspiraram filmes.

05. PS: Eu Te Amo – Cecelia Ahern


Um livro para nos emocionarmos profundamente junto a Holly. Confesso que chorei algumas vezes enquanto o lia, mas foi lindo. As cartas deixadas por Gerry nos levam a refletir sobre o quão intenso pode ser um amor, as amigas de Holly nos mostram o quão importantes são as amizades na vida de uma pessoa. O livro é muito mais preciso e emocionante ao narrar o drama e recuperação de Holly que o filme estrelado por Hillary Swank e Gerard Butler, além de contar com mais personagens, o que torna o enredo mais verossímil.

04. As Brumas de Avalon – Marion Zimmer Bradley (4volumes)


Li a coleção aos 14 anos e adoraria lê-la outra vez. A visão feminina da famosa lenda britânica do Rei Arthur é fantástica, conquistando-nos em cada passagem, em cada detalhe mágico da narrativa mítica. Mais que isso, é interessante ver como mesmo em tempos remotos e de um machismo indescritível as mulheres tinham um avassalador poder sobre as decisões e a vida dos grande homens que fizeram a História. Não sei se há filmes retratando os livros.

03.O Diário de Bridget Jones – Helen Fielding (2 volumes)


Livro e filme são extremamente parecidos, mas, uma vez mais, o livro supera o filme na riqueza de detalhes e na capacidade em estimular nossas férteis imaginações. É divertido acompanhar os encontros e desencontros da vida de Bridget Jones, sua luta contra o peso e sua busca pelo amor, seus porres e as situações embaraçosas nas quais se mete. Bridget é um amor de pessoa! Uma excelente leitura para férias, engarrafamentos (quando se está em ônibus) e dias chuvosos.

02. O Diabo Veste Prada – Lauren Weisberger


Muitas roupas, sapatos, bolsas e glamour. Basicamente, o que toda mulher já sonhou ao menos uma vez na vida. O livro conta detalhes a cerca da altiva Miranda Pristley que certamente não nos passaram pela cabeça quando assistimos o filme. A propósito, no livro, a personagem vivida nos cinemas por Meryl Streep, tinha o cabelo longo e loiro… Eu adoraria que houvesse outros volumes sobre a relação profissional entre Andrea Sachs e Miranda Pristley, mas infelizmente, não há…

01. Os Delírios de Consumo de Becky Bloom – Sophie Kinsella (5 volumes)

Delírios de Consumo de Becky Bloom - Volume I - Sophie Kinsella

Delírios de Consumo de Becky Bloom - Volume I - Sophie Kinsella

Nenhum livro que li nos últimos anos me deixou tão empolgada como essa coleção. Os risos e temores que me foram provocados por Rebecca Bloom e sua compulsão fizeram-me ler os 5 volumes em três semanas (da semana do Natal do ano passado a primeira semana deste ano). Tudo bem que primeiro eu vi o filme, mas só fiquei sabendo do livro após ver o filme, que é sensacional e compreende aos fatos narrados nos volumes 1 e 2. Adorei ver Isla Fisher como Becky e espero que façam filmes para os demais volumes, pois são igualmente sensacionais, sobretudo o 05.

Breve sinopse do volume I: Rebecca Bloom é uma garota londrina com um péssimo hábito. É uma consumidora compulsiva. Apesar de ser uma jornalista especializada em mercado financeiro, não consegue controlar as próprias finanças. Endividada até a alma, vive fugindo do seu gerente de banco e procurando fórmulas mirabolantes para pagar a fatura do cartão de crédito. E ainda encontra tempo para se apaixonar.

Aos professores queridos…

15 de outubro, dia dos professores. Um dia especial para uma das classes profissionais mais dignas de exaltação e que, apesar disso, padece em um país como Brasil, no qual a educação fica cada dia pior, os alunos tornam-se mais agressivos e o reconhecimento dos mestres é cada vez menor.

15 de outubro, dia dos professores. Um dia para lembrarmos de que nada seríamos sem eles, seja qual for a nossa área. Um dia para lembrarmos que devemos respeitá-los e idolatrar aos que lecionam com competência e por vocação.

15 de outubro, dia dos professores. Um dia para que os que exercem a profissão sem amá-la repensem suas vidas; ensinar é muito importante e para fazê-lo é preciso ter amor à causa. Um dia para que os que a exercem apenas “porque não tinham nada melhor para fazerem da vida” pensem em desistir, pois pode estar prejudicando quem quer aprender.

15 de outubro, dia dos professores. Um dia para os governantes desse país se envergonharem diante a miséria que pagam aos professores e que faz com que cada dia menos pessoas se interessem pela área. Um dia para o governo envergonhar-se com precariedade de um ensino calcado em cotas, progressões continuadas, ENEMs e não em qualidade, para que aí então tenhamos mão-de-obra qualificada e capaz de melhorar de posição social por seus próprios méritos.

15 de outubro, dia dos professores. Um dia para dirigentes de escolas particulares envergonharem-se por aprovar alunos incapazes devido o simples fato de que um aluno reprovado deixa aquela escola, que terá uma mensalidade a menos. Um dia para esses diretores enxergarem o mal que estão fazendo à sociedade ao mandar energúmenos de classe média, classe média alta e elite para o mercado de trabalho, para a política.

15 de outubro, dia dos professores. Um dia para alunos se envergonharem por colarem em provas achando que estão enrolando os professores. Um dia para alguns alunos se envergonharem do quanto maltratam seus mestres. Um dia para alunos refletirem que é o único culpado por uma nota baixa, não seu professor.

15 de outubro, dia dos professores. Um dia para pensarmos: o que seria de nós sem vocês?

 

Eu amei muitos de meus professores, idolatrei alguns, odiei uns poucos e ignorei outros. Ainda assim, reconheço em cada dia da minha vida a importância deles para o que sou agora. Dia do professor é todos os dias. Muito obrigada por tudo a todos os que pude e posso chamar de melhores… Devo muito a todos vocês, que são uma parte muito, muito importante da minha vida…

Parabéns a todos os professores!

 

Dedicado especialmente a:

Educação infantil, C.A. e Ensino Fundamental:

Tia Rita, Conceição, Valesca, Elaine, Cláudia S. (3 vezes), Marilene, Rosangela M (2 anos), Dalca (4 anos), Sandro (4 anos), Conceição M. (3 anos e meio), Neid (2 anos), Jane, Tânia, Arlen (1 ano e meio), Hérika, Luciene.

Ensino Médio:

Alberto, Tereza, Mauricio (2 anos), Silvana, Max, Rosangela B, Simone, María Elisa (2 anos), Márcia, Luiz José (Joca), Ricardo (Neném), Luiz Cláudio, Vera, Nilza (Nilzinha – 2 anos) Adriana H., Carla, Karla, Valéria, Bebeto, Gilberto, Arthur, Altair, Pedro, Jorge, João Baptista, Antonio Carlos (Tonico), Aderbal, Eduardo (Mancha), Andréa, Norma, Marquinho, Fernanda.

Graduação:

Marcela (2 períodos – se Deus quiser, 3), Claudia C. (se Deus quiser, 2 períodos), Maria Lilia, Monica, Assumpção (2 períodos), Gustavo, Cristiane, Solange.

Cursos:

Daniel, Renata, Christian

 

As orientadoras pedagógicas Ângela (1º e 2º anos) e Leila (3º), aos assistentes de série Vito (1º e 2º anos) e Cláudio (3º) – Ensino Médio.

 

PS: Essa não é uma ordem de preferência. Tenho boas lembranças de todos os citados e também admiração por eles.

Deprimência Existe!!

Oi!

Fiquei um bom tempo sumida, mas felizmente posso voltar essa semana! Acabaram as provas e temos um feriado de 9 dias! (oba! ^^).

E vamos ao post!!

Quando falo em deprimência refiro-me a comportamentos deprimentes indignos aos quais algumas pessoas se expoem ou são expostas, o que faz com que esse seja tal como a ditavergonha alheia“…

01. Sexta-feira passada. Após a prova de Estatística I, saí da aula direto para Niterói, onde encontraria minha amiga Vanessa, do blog Pensamentos Mil. Eu – usava cabelo solto, batom vermelho alaranjado e lápis+rímel pretos ( o primeiro apenas rente aos cílios inferiores), uma saia preta reta dois dedinhos acima do joelho e de cintura regular com uma blusa avermelhada de meia meia manga para da dentro da saia + peep toes com 7cm de salto, cor areia – quando estava indo para a Estação das Barcas do Rio de Janeiro. E não que, quando eu atravessava uma rua, um velho assoviou para mim?? PIOR: Um desses com cara de safado que usa correntinha dourada e vai para o pagode+birita de sexta a domingo. Um horror!! Odeio quando esse vermes fazem isso! Eu não sou vulgar, então parem! Não se faz isso com uma dama! Fiquei total enojada e imagino que vocês também fiquem quando em semelhante situação. Uma mulher usar saia e batom NÂO é sinônimo de que ela se está oferecendo a tudo e todos!! #muitorevoltada

02. No mesmo dia, quando chego em casa, meu pai descreve-me uma cena deplorável: Três mulheres vinham cambaleantes rua afora, por volta das sete e meia da noite. Param na varanda de uma pensão, abaixam as calças e urinam ali, sem qualquer preocupação ou vergonha. Além de nojento, é um ato indigno de se compartilhar…

03. Domingo, 03 de outubro: Tiririca eleito como deputado federal com maior número absoluto de votos. Acho que dispensa comentários…

04. Terça-feira, 05 de outubro: Uma das pessoas mais metidas de minha turma vangloria-se por ter “milagrosamente” acertado a questão mais difícil da prova de Matemática II. Digo “milagrosamente” porque há coleguinhas que testemunharam o “milagre”: ela COLOU de um amiguinho dela, ou melhor, do único amiguinho dela naquela turma… Ontem ela ainda estava vangloriando-se do feito e estou cada vez mais enojada com a postura dela…

05. Segunda-feira, 04 de outubro: Pronunciamento da candidata dilma rousseff após o resultado do 1º turno da eleições. Ela apareceu SEM maquiagem… Se com é um horror, imaginem sem! Corri da televisão!!

Bom, por hoje é isso…

Lindo fim de sábado e excelente domingo a todos!

XOXO
Thaís

http://politicadesaltos.blogspot.com

#foradilma #forapt

PS: A palavra “deprimência” realmente existe, ao contrário do que um certo professor meu diria…