Stop crying your heart out

É muito fácil botar tudo a perder. Um pouco de distração, de excesso de confiança e lá se vai o que a princípio parecia tão sólido, certo de acontecer. E como é difícil lidar com isso! O ego não suporta; o alter ego desvanece. Litros de lágrimas são derramados, soluços, gritos abafados de ódio para consigo próprio. Não há derrota pior do que perder para si próprio.

E digo isso porque o resultado alheio é algo que ignoro completamente. Bom ou ruim, não me pertence. Eu quero ser a melhor, mas a melhor em relação a mim e ver, por tão pouco, destruída essa possibilidade, é aterrador.

Buscar culpados para algo que apenas cabe a nós mesmos é impossível e apenas torna tudo mais difícil. Buscar culpa é o que nos resta. Culpar algo, circunstâncias; não pessoas. Muitas semanas sem qualquer descanso? Excesso de atividades, de criatividade, de avaliações, de cobrança? Necessidade de qualquer vã abstração? Talvez. Motivo para sentir-me resignada? Nenhum. Não há como se livrar do sentimento de fracasso quando o único culpado é você mesmo. Não há como não se martirizar depois que se reconhece como causador da própria derrota para consigo próprio.

O que fazer diante isso? Nada! Nada! Está-se impotente, imobilizado em si próprio, incapaz de qualquer coisa que possa alterar as conseqüências do dia, dos dias que antecederam ao indiscutível fracasso.

Conformar-se? Não. Nunca, jamais, em tempo nenhum. Desistir? Tampouco. Ignorar? Impossível. Tomar como exemplo, como incentivo pelos dias que virão, como lição para que já se cometa os mesmos tolos erros. Acreditar? Sim, sempre. Quando se é bom, você jamais deixa de ser bom. Quando se é o melhor para si próprio, haverá sempre uma nova oportunidade de a todos também mostrá-lo. Por maior que seja o sentimento de culpa, quando se é competente, sempre o será. Never let your star stop shinning…

Stop Crying Your Heart Out – Leona Lewis

Camino Al Sol – RBD

“If I fail, if I succed, at least I lived as I believe…”

“You’re a winner, for a lifetime, if you see that’s one moment in time…”

Whitney Houston – Greatest Love of All & One Moment in Time

Sobre Thaís Gualberto

Economista & Escritora // Economist & Writer

Publicado em 25 de junho de 2011, em Part of My Life, To think About. Adicione o link aos favoritos. 3 Comentários.

  1. Acreditar e seguir em frente, SEMPRE, esse é o lema! Tô adorando esse teu blog mais cheio de lições de vida, desculpa andar meio ausente… Tá difícil conciliar as coisas da vida!!!

    =]

    Um bjão, Thá! =D

  2. Tava precisando ler isso… beijos!

  3. Amei o texto!
    E essa música é linda :}
    Obrigada pelo recado de aníver!
    Bjoo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: