Pobreza X Limpeza

É claro que pobreza não é sinônimo de falta de higiene ou vice-versa. Quem nunca ouviu a velha máxima “Sou pobre, mas sou limpinha”? Não que eu seja uma fã de ditados populares e clichês, mas este é verdadeiro. Nada justifica que uma pessoa não seja limpa e minimamente cuidadosa com sua higiene e de seus pertences, nem mesmo a falta de recursos.

Infelizmente, entretanto, existem pessoas que não pensam assim… E uma delas está em minha turma da faculdade…

Quem não conhece a história do Cascão?

Aviso: Se não tem o estômago forte, não leia o que ainda falta do post.

O garoto em questão estuda comigo desde que comecei o curso de Economia, no primeiro semestre de 2010. Natural de São Paulo, ele entrou na faculdade pelo ProUni e mora sozinho no Rio desde que o curso teve início. Obviamente, essa não é uma vida fácil… O problema é a forma como o garoto se comporta… Logo no começo do primeiro semestre ele se sentava bem próximo de mim e não era nada agradável… Ele tinha o hábito de tirar o chinelo e por os pés em cima de uma cadeira vazia que ficava entre eu e ele, coçando-os vez ou outra e cheirando os dedos (urgh!) Conversei com uma professora e ela disse que eu devia faze-lo, de alguma forma, mudar de lugar. Foi o que fiz. Ele passou a sentar um pouco mais atrás e logo surgiram vários comentários de que ele não usava desodorante, o que logo tive a infelicidade de comprovar… Um gênio da minha turma então fez uma vaquinha entre os mais peraltas e comprou um Glade automático e instalou-o atrás do assento do pobre menino (que desse dia em diante,ficou conhecido como Glade Boy). Segundo um de meus colegas, o cheiro axilar foi trocado por uma “fedentina mista de odores axilares e flores do campo”. Esse meu amigo a propósito, chegou a sugerir ao próprio objeto do post que comprasse um desodorante, mas acho que ele não escutou…

No período seguinte, nada mudou. No atual, tampouco. Em uma semana de aula presenciei algumas das cenas mais asquerosas que um ambiente “escolar” é capaz de lhe oferecer… Como se não bastasse a falta de desodorante, o garoto, que voltou a se sentar do meu lado (eca!) insiste em passar grande parte das aulas com a camisa levantada e coçando o umbigo ou então com o braço enfiado dentro da camisa coçando as costas ou coçando o pé e cheirando… (eca! eca! eca!) Pior que isso, ele sempre vai dois dias seguidos com a mesma roupa (entenda-se mesma camisa, mesma bermuda, mesmo tenis, mesma meia)! Isso no calor infernal do Rio de Janeiro! É claro que desodorante nenhum resiste…

Enfim, acho descabido que ele frequente as aulas de forma tão porca… É muita falta de respeito com os colegas, principalmente quando ele começa a se coçar… Simplesmente não dá! A pessoa pode ser pobre, mas se quer melhorar, se quer conquistar uma posição melhor, não basta estudar em uma boa faculdade e ser um bom aluno… Uma aparência limpa é de muita valia… Enorme valia…

E vocês, o que pensam?

XOXO

Thaís

Sobre Thaís Gualberto

Economista & Escritora // Economist & Writer

Publicado em 19 de fevereiro de 2011, em Comportamento, Something to Forget e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. 12 Comentários.

  1. Nossa, que horror! Esse garoto tem que se ligar, que nojento! Beijos, mari.

  2. Oi Thaís!
    Aí o assunto é sério, encarar uma falta de asseio que é sinônimo de involução do ser humano, voltando ao estado de animal irracional…é de lascar essa situação.
    No meu ponto de vista, tudo tem solução diante da vibração com que encaramos um evento e neste caso “um mal cheiro”, é preciso pensar do porquê esse indivíduo está entre voces na sala de aulas e se perguntar o que voces todos da sala têm que aprender com isso…
    Essa é a primeira pergunta e depois de respondida por cada um, esse episódio vai deixar de existir e nem vão notar a “catinga” e daí ele irá se cuidar,e os odores deixarão de existir,automaticamente, pode apostar. Experimente e conclua voce.
    Bjsssssssssssss
    Mili
    N

  3. Pobreza de nada tem a ver com limpeza, desodorante num tá tão caro assim, gente! Ninguém tem a coragem de chegar no menino e mandar ele tomar um banho? FAZ UM BILHETE ANÔNIMO…Com um Rexona em anexo. Num tem condição!

    Um bju, Tha!

  4. ahhaha Thaís, eu juro que ri da sua desgraça! Achei tão engraçada a história do Glade Boy!!! Eu detesto essa história de pés nas cadeiras. Tem uma menina (é, meninAAA) da minha sala que faz isso (coloca os pés na cadeira da frente) e eu ahco o fim, super nojento mesmo!!! Quanto ao seu Cascão, eu apoio a ideia do bilhete anônimo com o rexona! Mas acho que poderia ser um kit higiene, que tal? Sabonete, bucha (escreve assim?), escova de dentes, desodorante, e quem sabe até uma meia e uma cueca?? haha Vai saber se ele troca a cueca também, né… heheheheh

    Bom, espero mesmo que alugém te socorra!! E você já pensou na possibilidade de você mudar de lugar?? hahaha Pode ser necessário!!!!!!

    Beijinhos!!!!!!

    • Do jeito que sou pára-raio de malucos, acho que se eu mudar de lugar, ele me seguirá, até pq, já fez isso… ahahha
      Sua idéia complementou muuuuito bem a da Ericka! Falta encontrar alguém para ajudar a por em prática!

  5. Thais, acho fantástico o seu jeito de escrever!!Gosto demais!!!
    Parabéns!!
    Beijinhos
    Eulalia
    http://www.papodemeninas.com

  6. Que nojoooooooo! Blerght!
    Banho é bom, né?
    Beijo,
    Yasmine

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: