Imoral e Ilegal

“Desmatar uma parte de uma encosta é legal, mas é imoral”, já diria meu professor de Geografia Física do 3ºano. O fato que comentarei hoje aqui, entretanto, consegue ser qualificado como ambos: imoral e ilegal. Eu o contarei como um pequeno conto para resguardar a identidade dos envolvidos, mas asseguro: o texto aqui presente baseia-se em fatos verídicos.

Canetas riscando papéis, o ar condicionado, o relógio, convesas no corredor. Era isso o que se escutava enquanto os alunos debruçavam-se sobre mais um teste. Talvez tudo houvesse transcorrido bem se o professor não levantasse a voz em tom de ameaça: “Da próxima vez não vou perdoar. Sei o que é colar e vou punir”. Até parece que ele sabe o que é colar… Mal deve saber amarrar cadarços, de tão esperto. Para ele o nítido, para todos (ou quase todos) um absurdo.

Aos poucos a sala esvaziou. As difamadas pelo medíocre professor levantaram-se para entregar suas provas e ele insistiu: “Na próxima vez não tem perdão. Eu vi.” Mas as meninas eram inocentes. Desde quando um simples olhar para o lado pode ser encarado como cola quando nem houve troca de palavras. Decerto era só um pretexto para exalar o seu fétido machismo…

Ao menos, um flagra verdadeiro parece ter sido dado: Ele, o professor tão correto e punitivo, deixou-se flagrar com a prova de uma das supostas melhores alunas da turma em mãos (só na cabeça dela, onde incompetência, falta de classe e intrigas parecem ser sinônimo de inteligência), prova esta na qual ele escreveu e devolveu em seguida para a última chocolícia do pacote.

Oh My God! It’s inadmissible!, diria tia Amália. Desde quando um professor pode passar uma resposta para um aluno de maneira tão descarada durante uma prova? Obviamente desde o momento em que ele é um burro-b***ca-machista e ela, uma sem princípios que adora usar o mérito alheio para atingir ao próximo e que pretende chegar ao topo derrubando a todos que representarem ameaça a falta de capacidade dela…

E uma das meninas pelo imbecil condenada argumentou, com propriedade e brilhantismo: “eu e minhas amigas não colamos, mas o senhor estava escrevendo na prova da Joaninha”. Ele, temeroso, rebateu: “Não… Se quiser, deixo que veja a prova”. Muito respeitosa, a menina retomou a palavra: “Não, obrigada. O senhor não confia em nós, mas nós temos de confiar no senhor”.

Sorte dele que a pessoa que elucidou o flagra apenas o fez diante ele e a Joaninha. Afinal, seria emocionante obter, em simultâneo a demissão de um imbecil e a expulsão de um ofídeo devido a tamanhas imoralidade e ilegalidade.

Trilha sonora do fato: Welcome – Christina Aguilera (Back to Basics – 2006) segue um trechinho…

“What’s behind the smoke and glass? Painted faces, everybody wears a mask. Are you selling them your soul? Well, you’ll be left out in the cold. […] Been jaded, hated. Who’ll be around when the limelight’s faded? Been shut down, pushed out. Made to smile when I wanted to frown”

Sugerem trilha sonora melhor?

Sobre Thaís Gualberto

Economista & Escritora // Economist & Writer

Publicado em 12 de junho de 2010, em Comportamento. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: