Em nome do rosa, do roxo, do vinho e do vermelho

Embora não exatamente estranhe o fato (dada a loucura do mundo e das pessoas, sobretudo no Brasil), não me agrada notar o quanto as poucas mulheres que estão na graduação em Economia afastam-se de um dos mais marcantes traços de feminilidade que uma mulher pode, de diversas maneiras, ostentar: as cores.

Em poucos períodos um contingente de jovens mulheres parece ter esquecido completamente que se pode usar cores no mundo profissional, desde que de modo harmônico. Acham que eu penso em deixar de lado o rosa, o roxo, o vinho e o vermelho que há dezoito anos vêm-me acompanhando em tudo para só usar preto e branco? De jeito algum… Fica tão bonito usar saias pretas com blusas em tons fortes de rosa e roxo ou listradas nesses tons e é maravilhosa a combinação de blusa branca + saia preta um pouquinho acima dos joelhos (não dá para usar uma maior que isso quando se tem míseros 1,64m) + sapato de salto (não mais que 10cm, passou disso fica totalmente deselegante com saias e vestidos) todo rosa ou vermelho. Isso sem falar com a mais que clássica blusa branca + saia preta + sapato preto, só que com meias finas bordadas, para arrematar…

Agora que já explanei o meu devaneio, pergunto: que mal pode haver em manter-se feminina em um ambiente dominado por homens? Isso diminui a minha credibilidade diante o mercado? Creio que não, contudo a pobreza mental das pessoas faz com que as indagações aqui feitas tenham, em geral, respostas positivas.

Por isso, partindo desse post, inicio um movimento em nome das cores, dos saltos, da maquiagem, dos esmaltes e das saias em minha dileta área… Que a Economia conte com cada dia com mais pontos rosas conduzindo-a com responsabilidade.

PS: Não me sinto ofendida, todavia considero extremamente pobre que condenem o uso de stabilos e outras canetas coloridas para anotar as matérias e fazer exercícios e provas… Isso não é sinônimo de idiotice e infantilidade, mas sim de segurança e organização… Sou competente e posso proporcionar-me o prazer de me preocupar com a estética daquilo que faço…

Anúncios

Sobre Thaís Gualberto

Economista & Escritora // Economist & Writer

Publicado em 23 de maio de 2010, em Comportamento. Adicione o link aos favoritos. 6 Comentários.

  1. Caracaa!!! Concordo plenamente!!! E não só em economia, mas em qualquer mundo quem que usem ternos e gravatas. Direito por exemplo, eu gosto de denominar “a carreira cinza”. Fala sério, que falta de cor, de alegria! Acho idiota condenar as cores, elas fazem parte das variadas personalidades das pessoas.

  2. José Sebastião

    Em nome da competência e da auto-estima

    Caríssima, quem é seguro de si incomoda. Força os outros a reconhecerem sua covardia em desistir de si próprio em nome de algo ou de alguém. Revolucione tua graduação com um arco-íris de ideias e sentimentos!

    Quanto à sua palestra no dia 10, dá certificado de participação? hehehe
    Fadado à retórica é o ato de te desejar boa sorte. Mas em nome do formalismo me prontifico: boa sorte, boa apresentação! Arrase!

  3. Ah se eu ainda estivesse naquela turma, com certeza seria mais um ponto cor-de-rosa seguro do que quer. Mas semestre que vem eu estarei na turma dos calouros, e vou representar muito bem os ideais femininos. Saudades Thaís

    • Assim que se fala! Precisamos de muitas e dignas representantes dos ideiais femininos na faculdade de Economia além de nós duas. Adorei te ver por aqui. Saudades, too. E ainda esperando sua visita… ^^

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: